top of page
  • clarissaliguori

Quais são as principais barreiras que nos impedem de nos movimentar mais? E como superá-las?

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2019 revelou que apenas 30,1% dos brasileiros com 15 anos ou mais praticavam algum tipo de esporte ou atividade física. Entre os motivos alegados para não se exercitar, os mais comuns foram: falta de tempo (35,2%), falta de interesse (28,7%), problemas de saúde (20%) e falta de dinheiro (12,6%).


Esses dados mostram que existem diversos fatores que podem dificultar a inclusão dos exercícios físicos na rotina dos brasileiros, desde questões pessoais até estruturais. Vamos analisar cada uma dessas barreiras e possíveis soluções para elas.


Falta de tempo: essa é uma das principais desculpas que as pessoas usam para não se exercitar. Sim, a rotina corrida de trabalho, estudo e afazeres domésticos consome todo o tempo livre e não sobra espaço para a atividade física. No entanto passamos, em média, 76 minutos diários entre o Instagram e Youtube. Será que não conseguiríamos direcionar 20 minutinhos desse tempo para fazer bem a nós mesmos? Para isso precisamos tirar qualquer tipo de “fricção” para que a inclusão de movimento seja natural em suas rotinas. Isso significa, que se estimularmos as pessoas a se exercitarem onde estiverem, com a roupa que estiver e oferecer um repertório de movimentos fáceis e gatilhos de estímulos em seu dia a dia, é possível superar essa objeção com mais tranquilidade. Demostrar que é necessário dedicar menos de 1,5% do tempo total da semana em movimentos para usufruir os benefícios na sua saúde, ajudam a dar a perspectiva correta.


Falta de interesse: outra barreira que pode afastar as pessoas dos exercícios físicos e a falta de interesse ou motivação. Muitas vezes, as pessoas não se identificam com as modalidades disponíveis ou não veem sentido em se exercitar. O inconsciente coletivo ainda relaciona o ato de exercitar uma atividade com fins estéticos ou para a melhora de performance física e ou superação, e não como um hábito necessário para sobrevivência. Nesse caso, a conscientização da necessidade do movimento, e os benefícios no curto prazo como desinchar, ganhar mais disposição, e diminuir o estresse precisam estar

em evidência e ressaltados para a rápida adoção de novos hábitos.


Problemas de saúde: Consultar um médico é sempre recomendado quando apresentamos limitações para praticar certos tipos de exercícios físicos por causa de problemas de saúde, como dores articulares, hipertensão, diabetes ou obesidade. Em geral, exercícios como: caminhadas, alongamentos e mobilidade apresentam baixa contraindicação e ainda podem ajudar a controlar e prevenir vários problemas de saúde. Ouça seu corpo, respeite suas limitações mas movimentar pouquinho é melhor que nada, sempre!


Falta de dinheiro: por fim, outra barreira que pode impedir os brasileiros de se exercitarem mais é a falta de dinheiro para pagar uma academia, um personal trainer ou um equipamento esportivo. No entanto, existem várias formas de se exercitar sem gastar muito ou nada. Você também pode usar objetos que você tem em casa, como garrafas pet, latas ou livros, para fazer exercícios de forca e resistência. Além disso, você pode acessar vídeos na internet ou aplicativos no celular que ensinam diferentes tipos de exercícios que você pode fazer em casa ou ao ar livre. O importante é usar a criatividade e não deixar que a falta de dinheiro seja um obstáculo para a sua saúde e bem-estar.


Estudando essas dificuldades e entendendo a necessidade de se movimentar, foi que chegamos a um modelo fácil e eficiente de rotinas de pausas. Mesmo que a prática regular de exercícios físicos pareça difícil de alcançar, as pausas ativas são uma alternativa viável, fácil, ágil e democrática para incorporar movimento em nossa vida diária. Experimente adotar uma rotina de pausas ativas e desfrute dos benefícios de um dia a dia mais ativo e saudável.


273 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page